11 janeiro 2019

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DA ULBRA TORRES FECHA O ANO COM A SEMANA ACADÊMICA ARQULBRA 2018

Em comemoração aos 20 anos do curso de Arquitetura e Urbanismo Ulbra Torres, ocorreu no campus a semana acadêmica ArqUlbra 2018, nos dias 20, 21 e 22 de novembro. Contando com a presença de todos os alunos do curso, os principais eventos tiveram, ainda, a participação de diversos egressos do curso e membros da comunidade.
As atividades tiveram início na noite de 20 de novembro, com a palestra do arquiteto e urbanista Paulo Henrique Rodrigues, sócio-diretor da Stemmer Rodrigues Arquitetos e da construtora Stemmer. Paulo é, também, presidente da AsBEA-RS desde 2015. Em conversa franca, o arquiteto mostrou diversas obras com alta qualidade arquitetônica do seu escritório, contou a história da empresa de mais de 30 anos de existência e ainda permitiu à plateia a possibilidade de fazer perguntas. Ao fim da palestra, o arquiteto chamou a todos para o palco a fim de registrar o momento.

Na ocasião da abertura do ArqUlbra, com a presença do diretor do campus Prof. Daniel Pereira Cardoso de Brum e a coordenadora acadêmica, Prof. Edinara Silveira Zambrano, foi apresentada pela coordenadora do curso de Arquitetura e Urbanismo, Prof. Arq. Me. Thaís Menna Barreto, a nova marca do curso, elaborada por ela em conjunto com os professores Enilton Braga, Efreu Quintana, Renata Matos e Karla Barros Coelho.


A nova identidade parte do legado da programação visual do curso, evoluindo, desde a marca anterior, a tradicional geodésica, desenvolvendo-se em um icosaedro, que é um poliedro regular de vinte lados iguais onde cada lado é representado por um triangulo equilátero. O icosaedro é o ultimo dos sólidos platônicos. A nova marca foi lançada, também, em camisetas e canecas, que se encontram disponíveis para aquisição na secretaria do curso.
Um especial workshop de projetos foi ministrado com os alunos, divididos em duas equipes. Dois profissionais do escritório 0E1 Arquitetos foram os responsáveis por esta atividade. A Arq. Me. Ana Cristina Castagna e o Arq. Me. Mario Guidoux orientaram os alunos no projeto de um masterplan de requalificação urbana da região da Lagoa do Violão, importante local da cidade de Torres. Os resultados da oficina podem ser conferidos em www.instagram.com/re.vigorar e https://www.instagram.com/elipsearquitetura/. 
Diversas oficinas foram realizadas nas dependências da Ulbra Torres com diferentes temáticas, servindo como complementares à formação dos alunos. Com grande adesão dos alunos, foi uma ótima oportunidade para ampliar conceitualmente seus conhecimentos.
A oficina de fotografia foi ministrada pela egressa do curso, arquiteta e urbanista Eloísa Hamanaka Brun, que explicou aos participantes todo o funcionamento mecânico e funcional da câmera fotográfica, bem como regras de composição e efeitos de aberturas do diafragma e tempo do obturador. A Prof. Thaís Menna Barreto fez uma breve mas abrangente apresentação sobre a história da fotografia, explorada em sua dissertação de mestrado no Propur/UFRGS. A oficina contou ainda com a participação especial da arquiteta e urbanista Suzanne Neumann Coimbra Mabilde. Formada na Uniritter, ela apresentou seu trabalho como fotógrafa, abrindo a exposição que foi feita no saguão da universidade.


As professoras do curso Anallu Barbosa e Graziella Radavelli ministraram oficina de blocos de concreto, onde os alunos puderam experimentar uma pequena composição cúbica, em formato 10cm, em concreto. Os alunos projetaram suas composições, montando as fôrmas em MDF, fazendo o traço do concreto e o aplicando logo em seguida.


Os alunos tiveram, ainda, a oportunidade inédita de fazer uma Viagem de Estudos a Torres. A bordo do tradicional Dindinho de Torres, um ônibus adaptado ao turismo, totalmente aberto, os alunos puderam visitar os principais pontos da cidade. Juntamente com os professores Marcos Bueno, Marta Volkmer e Breno Clezar Júnior, em um dia ensolarado, os estudantes tiveram a oportunidade de apreciar e fotografar as belas paisagens torrenses.
O Prof. Efreu Quintana ministrou curso de croquis arquitetônicos ao ar livre. Levando os alunos a campo, o principal alvo dos desenhos dos alunos foi a Igreja de São Domingos, inaugurada em 25 de outubro de 1824. Patrimônio de Torres, a igreja é tombada por órgão estadual de patrimônio histórico, artístico e cultural.
O novo símbolo do curso, o icosaedro foi o tema de oficina ministrada pelo Prof. Enilton Braga. Na oficina, uma série de icosaedros de diferentes materialidades e dimensões foram confeccionados, chegando até a composição de luminárias no formato do sólido platônico. Os alunos puderam assimilar a forma geométrica por meio da montagem de um modelo planificado em papel e, após, montar os modelos recortados em impressoras a laser, em MDF cru, e fazer a instalação elétrica.


A segunda palestra do ArqUlbra 2018, no dia 21 de novembro, foi proferida pelo escritório 0E1 Arquitetos, de Porto Alegre que conta, no quadro de sócios, com a participação da ex-professora da Ulbra Torres Ana Cristina Castagna. Na palestra, a arquiteta e o sócio Mario Guidoux explicaram sobre o funcionamento do escritório, como gerenciam seus clientes e, em seguida, apresentaram competentes projetos que seu escritório vem desenvolvendo.

No último dia, 22 de novembro, ocorreu o fechamento especial do ArqUlbra 2018. O clássico Choripan do curso, organizado pelo CEA, foi o ponto de encontro de todos os alunos do curso com egressos e com os professores.
O saldo do ArqUlbra 2018 foi muito positivo. Foi com muita alegria que todos os participantes puderam exercer suas atividades no campus da Ulbra Torres. Esperamos que os próximos eventos tenham tamanha adesão de egressos, alunos e professores como teve este evento. Foi um belo fechamento para o ano de 2018, ano em que foi divulgada a nota 4 no Enade do curso de Arquitetura e Urbanismo, sendo a melhor nota entre as faculdades privadas do estado do Rio Grande do Sul, e a quinta melhor nota no geral, atrás apenas das universidades federais. O curso ficou, ainda em terceiro lugar no CPC, aferido pelo MEC, no estado, e em segundo lugar no IDD.

21 dezembro 2018

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DA ULBRA TORRES É O 3° MELHOR CURSO DO RS SEGUNDO O MEC

O Curso de Arquitetura e Urbanismo da ULBRA Torres obteve o 3° lugar no RS em avaliação de qualidade aferida pelo Ministério de Educação, através do CPC (Conceito Preliminar de Curso), ficando atrás somente dos cursos da UFRGS e UFSM. Quando a análise é feita através do IDD, também aferido pelo MEC, o curso ocupa o 2° lugar no RS.

O CPC é o indicador de avaliação da educação superior realizado através de critérios objetivos de qualidade e excelência dos cursos pelo MEC. O indicador é composto por diferentes variáveis que traduzem resultados da avaliação de desempenho de estudantes, infraestrutura e instalações, recursos didático-pedagógicos e corpo docente.
O IDD é um indicador de qualidade que mede o valor agregado pelo curso ao desenvolvimento dos estudantes concluintes.
O Curso de Arquitetura e Urbanismo da ULBRA Torres vem obtendo excelentes resultados em avaliações oficiais do Ministério da Educação. No último ENADE obteve nota 4, em escala de 1 a 5, quando ficou classificado como o melhor curso de instituição privada do Rio Grande do Sul. Na mesma oportunidade, o curso obteve o 5° lugar geral no Estado, ficando atrás somente das Universidades Federais.
Este é um reconhecimento do trabalho realizado pelo time Arquitetura e Urbanismo ULBRA Torres, composto pelo grupo de alunos e professores, colaboradores, coordenação, direção e reitoria. Nesta oportunidade, em que ficou demonstrado através de números a dedicação com que o ensino e aprendizagem de arquitetura e urbanismo são tratados aqui na ULBRA de Torres, é com satisfação que a coordenação do curso parabeniza e agradece a todos envolvidos.

04 dezembro 2018

ALUNO DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DA ULBRA TORRES GANHA MENÇÃO HONROSA EM CONCURSO NACIONAL PARA ESTUDANTES

Os alunos do curso de Arquitetura e Urbanismo João Pedro dos Santos de Vargas e Luiz Fernando Pereira da Silva Júnior participaram de concurso nacional destinado a estudantes de graduação em Arquitetura e Urbanismo. Intitulado Concurso de Ideias Habitação Social no Centro, foi realizado como celebração dos 10 anos do portal e revista concursosdeprojeto.org e contou com a inscrição de 49 projetos de estudantes de faculdades de todo o Brasil. Avaliados por uma comissão julgadora composta por nove profissionais de destaque no cenário nacional, incluindo representantes do escritório MMBB, de São Paulo, e Estudio 41, de Curitiba, os alunos destacaram-se entre os participantes.
Prancha 1, João Pedro
Prancha 2, João Pedro
O aluno João Pedro recebeu Menção Honrosa por seu projeto Vitalidade de Áreas Urbanas. Sucinta mas precisa, a banca destacou como interessante a costura que o aluno fez por meio de aberturas de galerias, citando ainda que o projeto está tecnicamente bem resolvido. Não somente isto, o projeto destaca-se por estar muito bem graficado, com excelentes diagramas explicativos e uma competente renderização.
Prancha 3, João Pedro
Prancha 4, João Pedro
Os projetos foram totalmente desenvolvidos dentro da disciplina de Prática de Projetos II, ministrada pelo Prof. Arq. Me. Efreu Brignol Quintana. Por terem a mesma temática do concurso, habitação de interesse social em áreas  centrais, os alunos foram incentivados pelo orientador a enviarem suas propostas, o que aumenta ainda mais o mérito do reconhecimento obtido, uma vez que não foram desenvolvidos especialmente para este certame. Ambos os projetos têm em comum a estratégia de produzir espaços públicos de qualidade junto à unidade habitacional, resolvendo muito bem o problema da inserção da nova edificação em um contexto consolidado. Estão bem resolvidos, sob o ponto de vista funcional, e as boas soluções técnicas são corretas e bem representadas. Qualidades que, certamente, foram valorizadas pelo júri. A qualidade visual é marcante em ambos os projetos, que têm como cenário um completo terreno, com duas frentes e cinco metros de desnível, situado na cidade de Porto Alegre/RS.
Prancha 1, Luiz Fernando
Prancha 2, Luiz Fernando
O aluno Luiz Fernando, apresentando o projeto sob número 29, classificou-se entre os 19 finalistas. Para o orientador Prof. Efreu, "o projeto apresenta uma solução inteligente ao articular uma passagem de pedestres, tratando o térreo como área pública de convívio e circulação. Esta passagem é marcada por um volume elevado que equaciona a difícil inserção no contexto variado e histórico do centro de Porto Alegre. Dispõe os blocos residenciais ao longo das empenas existentes nos limites do terreno, conseguindo uma boa insolação em todas as unidades de moradia".
Prancha 3, Luiz Fernando
Prancha 4, Luiz Fernando
Confira as pranchas completas em https://concursosdeideias.org. Confira o projeto de João Pedro em https://concursosdeideias.org/sobre/resultado/ (Projeto 38) e de Luiz Fernando em https://concursosdeideias.org/sobre/projetos-participantes/ (Projeto 29). Siga o Facebook oficial do curso, www.fb.com/arquiteturaulbratorres e o Instagram oficial do curso www.instagram.com/arquiteturaulbratorres/.
O curso de Arquitetura e Urbanismo Ulbra Torres parabeniza os alunos, que obtiveram um ótimo resultado no concurso, e o Prof. Efreu Quintana, que os orientou. Reconhecimentos nacionais, juntamente com a atual nota 4 no ENADE 2017 (numa escala de 1 a 5), são os frutos colhidos de anos de intenso trabalho na qualificação do curso, que já vem firmemente se destacando no cenário regional e nacional.

29 novembro 2018

VIAGEM DE ESTUDOS 2018/2 – SÃO PAULO

Neste semestre de 2018/2, em sua tradicional viagem de estudos, o Curso de Arquitetura e Urbanismo da ULBRA Torres visitou a cidade de São Paulo. Nas viagens de estudos, formatadas como cursos de extensão, os acadêmicos aprendem sobre os aspectos históricos, urbanísticos e arquitetônicos da cidade visitada. Com a realização de aula preparatória antes da partida, os conteúdos abordados são, ao longo da viagem, experienciados in loco, gerando a oportunidade de vivenciar a rotina e cultura da cidade ao mesmo tempo em que se aprende sobre ela.
São Paulo foi fundada por Jesuítas em 1554, logo se convertendo em importante centro comercial e econômico, na medida em que o interior do Brasil foi sendo conquistado, tornando-se, hoje, uma das maiores e mais importantes cidades do mundo. São Paulo abriga, naturalmente, grande e expressiva produção arquitetônica com representativos exemplares de diversas épocas, como arquitetura colonial, trazida pelos Jesuítas, arquitetura vernacular local, representada pelas casas dos bandeirantes, grande produção eclética do final do século XIX e início do século XX e especial destaque para a arquitetura moderna e para a atual produção dos escritórios paulistas.
O grupo de 27 alunos, acompanhados dos professores Breno Clezar Júnior, Efreu Quintana, Marcos Bueno, Renata Matos e da coordenadora Thaís Menna Barreto, permaneceu em solo paulistano entre 16 e 20 de outubro, e percorreu um roteiro que contemplou diversos exemplares da arquitetura paulista, fundamentais para a formação de qualquer estudante de arquitetura no Brasil.
Logo na chegada, na manhã de terça-feira, dia 16 de outubro, o grupo iniciou sua jornada pela capital paulista na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP). O edifício, projetado por Vilanova Artigas em 1961, é um marco arquitetônico da chamada escola paulista. Com seu grande átrio central e ateliês abertos, o prédio sintetiza o pensamento de Artigas sobre o próprio ensino da arquitetura. Ainda na USP, visitou-se a Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin, dos arquitetos Rodrigo Mindlin Loeb e Eduardo de Almeida. Inaugurada em 2013 para guardar o acervo do casal Guita e José Mindlin, a biblioteca é um interessante exemplar de arquitetura contemporânea.


Da Universidade, o grupo dirigiu-se à Casa do Bandeirante, um exemplar original do período do século XVII, e pôde, em seguida, conhecer a casa no Butantã, residência do Arquiteto Paulo Mendes da Rocha.


Na tarde do primeiro dia, o principal destino foi o MASP – Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand, projeto icônico da Arquiteta Lina Bo Bardi, marco arquitetônico da Avenida Paulista. Uma caminhada por esta avenida levou o grupo até o Instituto Moreira Salles, projeto concluído em 2017, de autoria do renomado escritório Andrade Morettin Arquitetos.


À noite, a atividade foi na Universidade Mackenzie, onde a ULBRA Torres foi recebida para uma aula ministrada pelo Arquiteto e Urbanista Valter Caldana, que palestrou sobre a vida e os sistemas urbanos nas Megalópoles.
O segundo dia teve início no Edifício Copan, famoso condomínio residencial projetado por Oscar Niemeyer em 1954 e concluído em 1966, que abriga 1.160 apartamentos em seus 32 andares de planta sinuosa. Do alto do terraço descortina-se a vista panorâmica do centro da cidade.


A parada seguinte foi na Pinacoteca do Estado, antigo edifício do Liceu de Artes e Ofícios, construído no final do século XIX, pelo Arquiteto Ramos de Azevedo, e transformado em museu em 1989 pela equipe de Arquitetos liderada por Paulo Mendes da Rocha, junto com Eduardo Coloneli e Welinton Torres. Em frente à Pinacoteca situa-se a Estação da Luz, obra do final do século XIX, período da industrialização de São Paulo, que combina o edifício principal, eclético, de autoria de Charles Henry Driver, com uma grande cobertura de estrutura metálica, importada da Inglaterra, que cobre as plataformas de embarque.

Do centro para os jardins: a Galeria Luciana Brito funciona numa casa modernista, de 1957 projetada pelo Arquiteto Rino Levi. Lá, o grupo pôde experienciar, além das exposições artísticas, a espacialidade desta icônica casa-pátio. No Jardim Europa, em um terreno marcado por uma esquina em ângulo agudo e em desnível, Paulo Mendes da Rocha realiza, em 1989 o MuBe, Museu Brasileiro de Escultura e Ecologia. No edifício, que se adapta à topografia conformando uma praça pública em sua cobertura, destaca-se a grande marquise, que vence um vão de 64 metros entre seus dois apoios, distinguível à distância. Sua materialidade em concreto aparente garante grande representatividade na arquitetura brutalista da chamada Escola Paulista.



A programação, à noite, foi a visita à Exposição Ocupação Paulo Mendes de Rocha, uma mostra de trabalhos do Arquiteto relacionados à temática da água, no Itaú Cultural, na Avenida Paulista. O grupo, dali, direcionou-se à Casa das Rosas, exemplar da arquitetura dos casarões em estilo eclético que compunham a paisagem da Avenida Paulista no início do século XX. Nesta casa, especificamente, viveu a família de Ramos de Azevedo. É, hoje, um espaço cultural dedicado à literatura e à memória de Haroldo de Campos. Foi possível, ainda, conhecer a Japan House, um centro de divulgação da cultura japonesa que funciona em um edifício adaptado pelo arquiteto japonês Kengo Kuma, em parceria com o escritório paulista FGMF.


A manhã de quinta-feira foi marcada pelas visitas a duas casas modernistas no bairro do Morumbi: primeiro, a Casa do Engenheiro Oscar Americano e, depois, a Casa de Vidro. A primeira, hoje aberta ao público como Fundação Maria Luísa e Oscar Americano, é projeto do Arquiteto Oswaldo Arthur Bratke, datado de 1953. A segunda, projeto de Lina Bo Bardi, era a residência da Arquiteta com seu marido Pietro Maria Bardi, e é, desde então, uma referência fundamental na história da arquitetura doméstica moderna brasileira.
O grupo fez, à tarde, um pequeno percurso a pé pelo centro da cidade e foi recebido no Theatro Municipal, obra de Ramos de Azevedo claramente inspirada na Ópera de Paris, de Charles Garnier. Depois da visita guiada pelo teatro, o grupo dirigiu-se ao novo SESC da rua 24 de Maio. Projeto recente e premiado em que o Arquiteto Paulo Mendes da Rocha, junto com o escritório MMBB, converteu o antigo prédio da loja de departamentos Mesbla em uma sede SESC. Com a abertura do térreo compondo uma praça e com o vazio central ocupado por quadras e salas maiores, o prédio conta, ainda, com uma piscina no terraço. Todos os espaços são interligados por uma circulação vertical configurada por rampas.



As visitas do dia terminaram no Parque Ibirapuera, local que contém um expressivo conjunto de pavilhões interligados por uma extensa e sinuosa marquise, projetos de Oscar Niemeyer, em 1954, para o quadricentenário da cidade. No parque, visitou-se o Pavilhão Ciccillo Matarazzo, onde estava ocorrendo a exposição da 33ª Bienal de Arte de São Paulo.

O último dia começou com uma visita ao Conjunto Nacional, o primeiro grande edifício da Avenida Paulista, um complexo multifuncional em que se percebem as típicas linhas da escola carioca de arquitetura, projeto de 1952 do Arquiteto David Libeskind. 

No final da manhã, alunos e professores, foram brindados com uma recepção no Studio MK27, escritório do renomado arquiteto Marcio Kogan. O grupo foi recepcionado pelo Arquiteto-sócio do escritório, Carlos Costa, que explicou o sistema de trabalho, expôs alguns projetos e mostrou a sede. Ao final da visita, foi possível um encontro com Marcio Kogan, que generosamente mostrou seu espaço de trabalho e falou, brevemente, sobre seu processo de criação.


Saindo do Studio MK27, o grupo fez uma caminhada passando por exemplares modernos e contemporâneos, como o Edifício Guaimbê, de Paulo Mendes da Rocha, a Livraria da Vila e a Loja da Havaianas na Rua Oscar Freire, do arquiteto Isay Weinfeld, até chegar na loja Micasa, projeto do Studio MK27, que havia sido apresentado na visita ao escritório, momentos antes.


Como gran finale, a tarde de sexta-feira reservou uma visita guiada a todo o complexo do SESC Pompeia, uma das maiores obras da Arquiteta Lina Bo Bardi. A conversão de uma antiga fábrica de tambores em um centro cultural e esportivo, com o restauro dos pavilhões industriais para programas culturais, e a construção do anexo brutalista em concreto aparente, onde estão as quadras esportivas, garantem a este edifício destaque internacional.

Um passeio e jantar de confraternização na Vila Madalena coroaram o belo encerramento de mais uma proveitosa e produtiva viagem de estudos.
O Curso de Arquitetura e Urbanismo agradece aos professores que participaram e organizaram o curso viagem de estudos a São Paulo, agradece ao professor Enilton Braga, que agendou a visita ao Studio MK27, e a todas as pessoas e instituições que tão bem receberam a comitiva da ULBRA Torres na cidade de São Paulo. Agradece, especialmente, aos alunos muito interessados e ótimos companheiros de viagem, e reforça a importância das viagens de estudo como complemento necessário à formação dos jovens arquitetos e urbanistas, que podem vivenciar in locoos conteúdos de aula. São iniciativas como esta que contribuem para fazer deste um curso de excelência, avaliado entre os melhores do país.

EGRESSOS DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DA ULBRA TORRES GANHAM PRÊMIOS INTERNACIONAIS

Os profissionais egressos do curso de Arquitetura e Urbanismo Ulbra Torres, arq. Abraão Santana, arq. Alexandre Rocha Dias, arq. Monica Inácio, arq. Tiago Borba Pavinato e arq. William Idiart Rodrigues, titulares de escritório de Arquitetura e Engenharia em Torres, RS, tiveram um projeto seu premiado em dois sites internacionais de arquitetura.

O primeiro prêmio, no WA Award Cycle 28 foi pelo site World Architecture Community, enquanto o Segundo, na categoria Americas 2018 Award, pelo site International Property Awards.

A coordenação do curso de Arquitetura e Urbanismo da Ulbra Torres parabeniza os egressos com a certeza de que profissionais cada vez mais competentes estão se formando, com total alinhamento ao mercado de trabalho e excelência acadêmica. Isto tem sido continuamente comprovado, como, por exemplo, com a recente nota 4, numa escala de 1 a 5, obtida no ENADE 2017, sendo a melhor nota entre as Faculdade de Arquitetura e Urbanismo privadas no estado do Rio Grande do Sul.

02 outubro 2018

PROFESSOR E EGRESSOS DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DA ULBRA TORRES RECEBEM O 1º PRÊMIO VISUAL DESIGN

No dia 29 de agosto de 2018, no Teatro Unisinos, em Porto Alegre, o Escritório Martin Arquitetura + Engenharia, do professor do curso de Arquitetura e Urbanismo Arq. Me. João Batista Martin foi premiado com o Troféu Ouro do 1° Prêmio Visual & Design de Arquitetura Decoração e Design, na categoria Casa. Concorrendo com outros 250 projetos, a Casa i10 foi a grande vencedora. O escritório, referência de arquitetura residencial no litoral norte gaúcho, é também formado por profissionais Arquitetos e Urbanistas egressos da Ulbra Torres, além de alunos da universidade que trabalham como estagiários. Na noite do evento, o escritório ganhou, ainda o sorteio para uma viagem a Milão.

Além deste prêmio, o escritório já havia conquistado o Sinduscon Premium – Etapa Litoral Norte na categoria Casa Residencial, com a Casa M31, publicada no Archdaily, o maior e mais visitado site de arquitetura do mundo.

A Coordenação do curso congratula a equipe da Martin Arquitetura + Engenharia pela importante premiação recebida e também pela crescente projeção nacional que vem conquistando nos últimos tempos. O curso acredita que esta constante troca entre a universidade e o mercado de trabalho tem gerado os frutos recentemente colhidos, com os egressos formando-se cada vez mais competentes, a alta empregabilidade dos recém-formados no mercado de trabalho e na consequente qualificação da produção arquitetônica no Litoral Norte gaúcho.

11 setembro 2018

EGRESSOS E ALUNA DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO ULBRA TORRES SÃO PREMIADOS EM CONCURSO

Os egressos do curso de Arquitetura e Urbanismo Ulbra Torres, formados em 2017/2, Christoffer Costa e Silva da Rosa, Eloisa Hamanaka Brun e Gabriel Henrique Cazuiuqui Brun, juntamente com a aluna do curso Natália Jacoby Ulrich, foram os vencedores do concurso para estudantes e recém-formados em arquitetura e urbanismo (Re)Consolidando a Fundação Iberê Camargo no Cenário de Porto Alegre, em evento celebrado no dia 1º de setembro de 2018, no auditório desta instituição.


Sendo o primeiro concurso organizado pelo Minimum, de Porto Alegre, foi aproveitada a ocasião da comemoração dos 10 anos de inauguração do projeto do arquiteto português Álvaro Siza, na capital gaúcha, em 30 de maio de 2008. A proposta do concurso era fomentar ideias dos participantes ao propor uma intervenção de tema livre, no espaço em frente à Fundação Iberê Camargo, com a premissa de criar movimento e animação, além de atividades, ao entorno imediato durante todos os dias da semana. A ideia era conectar a orla do Guaíba à Fundação por meio de uma arquitetura singular, destacando-se na paisagem porto-alegrense. Com os alunos da Ulbra Torres em primeiro lugar, o segundo lugar foi conquistado pelo Studio Zenital, o terceiro pelo Poente, quarto por Sen5es e quinto por Duas.


A proposta apresentada pela equipe partiu da sensibilidade dos autores em identificar uma demanda latente no local pela população, identificando os usos distintos em dois lugares diferentes, formalmente segregados. Na Fundação Iberê Camargo, a área externa é utilizada como espaço de espera e contemplação, enquanto na orla, a ciclovia e a calçada funcionam como passagem e, nos espaços disponíveis, permanência. A partir desta análise, foram delineadas as estratégias projetuais em quatro dimensões interventivas:
  1. Conectar, propondo uma intervenção de traffic calming na via de trânsito rápido com a intenção de permitir uma segura conexão peatonal entre a Fundação Iberê Camargo e a orla do Lago Guaíba;
  2. Setorizar as áreas de circulação, contemplação e de bar e sanitários afim de manter a relação e integração entre os espaços, mantendo o protagonismo da edificação do museu;
  3. Preservar os usos dos espaços pré-existentes, como a ciclovia, os espaços de passeio e de contemplação, promovendo aproximação dos usuários da fundação com os usuários da orla por meio de escadas e patamares que podem ser utilizados como arquibancadas;
  4. Qualificar o ambiente disponível, integrando de maneira eficiente os espaços da fundação e da orla ao circuito de lazer de Porto Alegre.



Ilustrando de maneira muito eficiente, a prancha apresentada pelos alunos da Ulbra Torres demonstra o crescente domínio conceitual e projetual das novas gerações que estão diplomando-se nesta Universidade. A coordenação e o corpo docente do curso de Arquitetura e Urbanismo receberam a notícia da premiação com muita satisfação e orgulho, consolidando a certeza de que os egressos estão se formando com cada vez mais competência e profissionalismo. O curso parabeniza, portanto, os premiados, e regozija-se em saber que a sólida formação de qualidade está gerando frutos positivos na comunidade onde está inserida.

Saiba mais em https://www.minimumpoa.com.br. Siga a página no Facebook do curso https://www.facebook.com/arquiteturaulbratorres e o Instagram www.instagram.com/arquiteturaulbratorres.